capa qual o papel do professor

Qual é o papel do professor no processo de ensino?

As funções e atribuições dos professores mudaram radicalmente nas últimas décadas. Com tantas mudanças, chegou a hora de perguntar: qual o papel atual do professor no processo de ensino?

Nada mais inspirador do que observarmos uma sala de aula moderna ‘ideal’: alunos entusiasmados realizando diversas atividades em classe, tecnologia ajudando estudantes e mestres a aproveitar melhor seu tempo na escola, professores utilizando seu conhecimento para potencializar o aprendizado dos alunos. Apesar de nem sempre esta ser a realidade em todas escolas, sem dúvida nenhuma é um panorama no qual a maioria dos educadores se inspira quando imagina um futuro melhor.

Muita coisa teve que mudar – e muita coisa ainda está mudando! – para que tal cenário pudesse se tornar uma realidade. Toda a estrutura de ensino tradicional pinta um quadro muito diferente daquele do parágrafo acima.

Nos modelos clássicos, alunos são subordinados e os professores são mestres absolutos. As aulas tradicionais são ‘estáticas’, no giz e no quadro negro, e seguem um modelo linear: o conhecimento vai do professor para o aluno – e isso é tudo.

Ao longo das últimas décadas, tal lógica mudou radicalmente. Frente a frente, os modelos tradicionais e modernos de ensino deixam explícitas algumas diferenças claras. Talvez uma das mais importantes seja, de fato, o papel do professor no processo de ensino.

Seria o mestre alguém com a missão de dar aulas, ou então um profissional cujo foco é ensinar a aprender?

Seria o professor ideal uma espécie de palestrante, seguindo um modelo unidirecional de fluxo de aprendizado, ou então um facilitador do intercâmbio de conhecimentos?

Mundo novo, Nova escola

estudantes-das-mais-diversas-nacionalidades-e-culturas

Escolas seguem as tendências de seu tempo. Vivemos em uma sociedade rápida, hiperconectada, na qual grandes mudanças sociais e estruturais ocorrem em velocidade acelerada. Tais mudanças eventualmente colidem com o universo da educação, que precisa processar estes estímulos e repensar a maneira como o ensino é realizado.

O mundo do século XXI é dinâmico, de mudanças contínuas, e, para conseguirmos compreendê-lo e conviver em harmonia com nossos pares, o papel da escola é cada vez mais importante. A escola é, muitas vezes, o único local de convívio social dos jovens. As salas de aula, hoje, integram pessoas com as mais variadas histórias de vida, históricos familiares, conhecimentos, desejos e sonhos próprios. Cabe aos professores – os profissionais que lidam dia a dia com esse maravilhoso ‘mix’ cultural – compreender essa nova realidade e utilizar seus conhecimentos para potencializar os pontos positivos de sua comunidade de alunos e ajudá-los a corrigir seus pontos fracos.

As mudanças que ocorreram nas escolas mudaram, também, o papel dos professores. No passado, eles eram a principal fonte de conhecimento, os líderes e educadores da vida escolar de seus alunos. Eram os professores que determinavam o que os alunos faziam após a escola. Eles eram a autoridade máxima na classe e muitas vezes adotavam o papel de pais”, escreve a respeitada pesquisadora da educação Éva Szucs.

“Hoje em dia, os professores apresentam informações e mostram aos seus alunos como lidar com elas. Apesar de ainda serem considerados uma espécie de ‘líder’ na sala de aula, eles podem ser compreendidos como facilitadores no processo de aprendizado. Eles são mais ‘ajudantes’ do que educadores, e também conselheiros perante os pais”, explica a pesquisadora.

Maleabilidade para lidar com um mundo em transformação

Atualmente, portanto, as missões dos professores são várias, e exigem muita flexibilidade a fim de serem alcançadas. O foco principal, todavia, é facilitar o processo de ensino, mostrando como é que se adquire conhecimento e, assim, permitindo que os alunos ganhem confiança para aprender por conta própria em um mundo cada vez mais maleável.

Se, por um lado, deve-se seguir à risca as grades curriculares da escola e aquelas nacionais, por outro há espaço para que tais objetivos sejam alcançados por meio de modelos criativos de ensino.

O uso da tecnologia é perfeito para tais situações. O emprego de plataformas digitais de ensino, por exemplo, auxilia professores e alunos a aproveitar o melhor que o mundo digital oferece para enriquecer conhecimentos, explorar novas temáticas e aprimorar o processo de aprendizagem. Além disso, elas são ótimas como suporte aos alunos nos momentos em que estão longe dos professores.

Seja como meio de envio de mensagens, realização de testes e pesquisas guiadas, seja como local de estudos focados e de exploração de conhecimentos, as plataformas digitais representam muito bem esta nova concepção do professor: um profissional multifacetado, que sabe equilibrar os conceitos tradicionais de ensino com as inovações constantes que o mundo moderno traz, por meio dos alunos, para dentro da sala de aula.

Professores, Cúmplices do aprender

papel do professor - o facilitador para as auto descobertas

Os professores, hoje, devem ter ampla sensibilidade para as idiossincrasias de seus alunos. Compreender o papel que a escola em que trabalham possui na sociedade local e quem é cada um dos alunos é fundamental para criar vínculos de verdadeira cumplicidade.

Isso é um primeiro passo essencial para que aluno e professor, juntos, possam construir um caminho de progressos no ensino.

Muitos dos roteiros educativos modernos seguem essa tendência: por que não estimular os alunos unindo conhecimentos mais ‘acadêmicos’ à sabedoria popular (ou o que está na moda atualmente entre os jovens), mostrando quão importante é uma base educativa forte para entender o mundo ‘prático’ ao nosso redor?

Não é possível fazer isso sem ter um contato direto, íntimo e real com a classe. Por isso, reservar tempo e ter a disponibilidade para conversar com os alunos, seus pais e trabalhar os aspectos sociais da escola é uma atribuição cada vez mais requisitada entre os professores.

Ensinar a Aprender é Acompanhar Cada Progresso

O acompanhamento aprimorado do progresso dos alunos é outra característica primordial dos professores modernos – e aqui, também, cai muito bem uma ajudinha da tecnologia.

Se cada aluno é único, com facilidades e dificuldades específicas que precisam ser trabalhadas independentemente, então a maneira como o ensino é realizado e as avaliações são aplicadas deveria, também, seguir um padrão mais individual. Sabemos, porém, que na prática é muito difícil dar atenção especial a todos os alunos, o tempo todo.

promovendo a independencia dos estudantes
Professores ‘facilitadores’: promovendo a indepêndencia dos estudantes.

Por isso, adotar a tecnologia é uma ideia tão bem vista atualmente. Plataformas digitais de ensino – e o Sílabe é um ótimo exemplo! – permitem que os professores criem exercícios e atividades para grupos diferentes de estudantes – um tipo para quem está mais adiantado, outro para quem ainda precisa de uma ajudinha especial em determinada matéria. Leituras extras podem ser indicadas para que toda a classe atinja rapidamente o mesmo patamar de conhecimento. A correção automatizada dos exercícios e o feedback rápido para o professor ajuda-o a compreender o que cada aluno mais precisa, guiando o curso da disciplina e permitindo que aulas mais focadas nas reais necessidades da classe sejam criadas.

Professor: a Peça Central do mundo escolar

De acordo com a visão moderna, o papel dos professores é ajudar a formar ‘aprendedores’, ou seja, alunos que saibam como aprender, utilizando com maestria as ferramentas tecnológicas e cognitivas à sua disposição. Em um mundo em eterna mudança, aprender a aprender talvez seja a aula mais importante de uma vida.

A função de ‘facilitador’ muito divulgada para os professores nada mais é do que tornar os alunos progressivamente mais independentes, motivados pelas descobertas que podem ser feitas no dia a dia e preparados para uma vida inteira de estudos e aprendizado. ‘Facilitar’, aqui, é sinônimo de transmitir a importância e o prazer que há em aprender.

Os alunos podem ser os personagens principais na sala de aula, porém o professor continua sendo o centro de todo o processo de ensino

Os alunos podem ser, hoje, os personagens principais na sala de aula, porém o professor continua sendo o centro de todo o processo de ensino. Se há uma coisa que nunca irá mudar é o protagonismo do professor para o bom aprendizado. As mudanças da sociedade e o advento da tecnologia trouxeram novos desafios e novas possibilidades para o cotidiano da profissão, mas não mudaram o fato de que o professor continua sendo a peça fundamental para criar gerações mais bem preparadas para lidar com os desafios do mundo.